NOTICIAS A CAPELA

28 NOV

Arembepe celebra os 50 anos do movimento hippie


Três eventos simultâneos e com forte identidade marcarão o início das comemorações dos 50 anos do movimento hippie em Arembepe. 

O evento está sendo organizado pela Associação de Comerciantes e prestadores de serviço de Arembepe (ASCARB), com o apoio da prefeitura de Camaçari.  No dia 2 de dezembro, o debate e a sessão de autógrafos do livro Anos 70 Bahia  acontecerá a partir das 19 horas na praça da Amendoeiras com a presença dos jornalistas Sergio Siqueira e Luiz Afonso Costa. A obra, lançado em abril de 2017, desenha com pormenores e veracidade testemunhal um vigoroso painel autobiográfico da década em que a Bahia sagrou-se como a Meca cultural – e também contracultural – do Brasil e o vilarejo de Arembepe tornou-se a Santiago de Compostela dos hippies de todo o mundo. 

Com o ineditismo de ter sido escrito on-line, o livro contempla relatos e imagens postados em mídia social (Facebook) pelos próprios protagonistas. Ele narra os cenários e fatos que marcaram a cena baiana na década de 70, quando a maré da contracultura trouxe às suas belas praias, em especial, Arembepe e sua aldeia hippie, gente de todo o planeta, entre eles astros de primeira grandeza da música, da literatura, da dança, do teatro, das artes plásticas, do experimentalismo.

Do mochileiro ao popstar, todo mundo queria vir para cá, terra prometida da artistagem e dos alternativos. Arembepe e sua mítica aldeia era visitada e experimentada por gente como Jorge Amado, Mário Cravo Neto, Gláuber Rocha, Vinicius de Moraes, em aberta convivência com os vanguardistas Caetano, Gil, Gal, Novos Baianos, Ney Matogrosso, Rita Lee, Raul Seixas, Capinan, Waly Salomão, Rogério Duarte e tantos outros. No antigo vilarejo de pescadores, desembarcaram, ainda, sumidades internacionais do quilate de Janis Joplin, os Stones Mick Jagger e Keith Richards, Robert de Niro, Jack Nicholson, Roman Polanski, Dennis Hopper e Richard Gere...

Neste debate que acontecerá a partir das 20 horas na praça das Amendoeiras, Sérgio Siqueira, Lula e outros convidados, como o ator João Sá, o poeta Walter Cézar e o bancário Álvaro Carvalho, morador mais antigo da aldeia, irão discutir o impacto do movimento hippie e da contracultura na vida e no comportamento dos brasileiros hoje, pleno século XXI. O encontro reunirá ainda os artistas Mario Estevam e Guida Queiroz, que se apresentarão no palco da praça com canções que marcaram a época.

Após o debate, os autores farão uma sessão de autógrafos do livro Anos 70 Bahia, produzido com a qualidade e tradição da Editora Corrupio, sob coordenação editorial de Bete Capinan e projeto gráfico de Valentina Garcia. O preço do exemplar é R$ 40,00.

No sábado, 2, das 16 às 22 horas, e no domingo, 3, das 10 às 16 horas, a praça dos Coqueiros receberá artesãos de Arembepe, da aldeia e das redondezas para mais uma edição da Feira de Artes e Artesanato de Arembepe. A qualidade e identidade dos trabalhos se destaca e combina perfeitamente com esse momento de resgate dos anos gloriosos de paz e amor de Arembepe.

Organização: ASCARB (Associação dos Comerciantes e Prestadores de Serviço de Arembepe) e prefeitura de Camaçari

Local: praça das Amendoeiras e dos Coqueiros, Arembepe, km 30 da Estrada do Coco

Maiores informações: Claudia Giudice (11) 99653-6209, email claudiagiudice2014@gmail.com




Arembepe: 50 anos do Movimento Hippie

Em 2018, a comunidade de Arembepe, os moradores da aldeia hippie e a Associação dos Comerciantes e Prestadores de Serviço (Ascarb) e a prefeorganizarão diferentes eventos e atividades para celebrar os 50 anos do Movimento Hippie em Arembepe. Serão encontros, debates, exposições que atualizarão o movimento nos dias atuais e discutirão a importância da contracultura na transformação e mudança da moda, do comportamento e da política no país e no mundo.

O vilarejo de Arembepe, originalmente uma vila de pescadores, se tornou no final dos anos 1960 o maior centro agregador de jovens, artistas e pensadores envolvidos com a contracultura e o movimento hippie. À época, Arembepe ficou conhecida como a Santiago de Compostela do movimento porque recebia visitantes de todo o mundo, interessados em experimentar a vida em comunidade e o espírito do movimento que pregava “a paz e o amor”.

Arembepe pertence ao município de Camaçari e fica a 30 quilômetros do aeroporto de Salvador. Desde 1968, abriga uma das raras aldeias hippies do mundo, que se mantém viva há meio século. Arembepe e sua aldeia ficaram conhecidas, mundialmente por receber visitantes famosos como Janis Joplin, Mick Jagger, Keith Richards, Roman Polanski, Jack Nicholson, além de centenas de artistas brasileiros. Desde 2017, a aldeia tem sua história recontada por meio de posts na rede social e pode ser considerada como um museu a céu aberto por manter a história e o modo de vida do movimento hippie, que se desenvolveu na Bahia no final da década de 1960.

Acompanhe a programação nos perfis do facebook https://www.facebook.com/arembepe50anosdemovimentohippie/

https://www.facebook.com/aldeiadearembepe/messages/?threadid=100001231096771&timestamp=1510337529035


Data: 28/11/2017
Leia Mais
31 JUL

Cerveja artesanal Arembepe

Estamos com uma novidade no cardápio. A partir dessa semana, servimos a cerveja artesanal Arembepe, produzida em nosso vilarejo, com 600 ml. A cerveja está disponível nas versões Pale Ale, Pilsen e Blond Ale. " A cerveja é excelente", comenta Alessandro Sassaroli, gerente da área de games do Youtube Latam. "Experimentei dois tipos e adorei. São muito saborosas e combinam muito bem com frutos do mar", acrescenta.

Existem muitas classificações para diferenciar os diferentes tipos de cervejas. Há quem prefira classificá-las pelo tipo de fermentação, sendo que, deste modo, se formam dois grandes grupos: as Ale (cervejas de alta fermentação ou fermentação no alto) e as Lager (cervejas de baixa fermentação). É claro que dentro de cada um destes grupos há muitos subgrupos, havendo mesmo algumas cervejas que não se encaixam bem quer num, quer noutro grupo.

Outros itens que permitem classificar as cervejas podem ser: a sua cor (clara ou escura); o teor alcoólico (sem álcool, de baixo, médio ou alto teor alcoólico); ou ainda o teor do extrato primitivo, sendo que neste caso as podemos dividir em fracas, normais, extras e fortes.







Data: 31/07/2017
Leia Mais
29 JUL

Crianças plantam cocos secos na Capela para ajudar projeto de reflorestamento

Hoje a Pousada A Capela iniciou um projeto de produção de mudas de coqueiro para reflorestamento. A ideia é uma iniciativa da ASCARB (Associação dos Comerciantes e Artesão de Arembepe) e do ambientalista Rivelino Souza. É simples. É fácil. Recolhemos cocos secos. Tratamos o coco. Plantamos. Brota. Cresce. Com quatro meses, vira uma muda pronta para ser replantada em qualquer lugar. O objetivo é replantar em toda Arembepe e na aldeia hippie. Afinal, estamos na costa do Coqueiros. 

Obrigada Lili e Maria pela ajuda. O trabalho rendeu 12 novos filhotes de coqueiro.





Data: 29/07/2017
Leia Mais
20 JUL

50 anos do movimento hippie em Arembepe

Arembepe ficou conhecida no mundo inteiro por causa da sua aldeia hippie, que atraiu jovens e artistas de todo o mundo. Janis Joplin, Mick Jagger, Jack Nicholson, Roman Polanski, Novos Baianos, Paulo Coelho, Gal Costa são algumas das personalidades que fizeram a fama do lugar. Em 2018, o vilarejo irá comemorar os 50 anos do movimento com uma série de eventos, exposições e shows de música que irão mostrar a importância da contracultura para o mundo. Acompanhe. Visite. Participe.
Data: 20/07/2017
Leia Mais